Projetos para financiamentos

Os profissionais de planejamento est√£o habilitados para fazer diversos tipos de projetos agropecu√°rios

O cr√©dito rural √© um financiamento voltado para agricultores, associa√ß√Ķes e cooperativas para facilitar o agroneg√≥cio. O aux√≠lio permite a eles expandir as negocia√ß√Ķes, investir em sua atividade e custear os custos de produ√ß√£o e comercializa√ß√£o dos produtos. Ao baratear os custos do empr√©stimo, por ter taxas de juros e prazos de pagamento diferenciados, √© poss√≠vel criar uma rede de colabora√ß√£o entre os produtores rurais, reduzindo os custos de produ√ß√£o.

Para conseguir o cr√©dito rural, o produtor deve apresentar o projeto t√©cnico elaborado por um profissional habilitado, junto com com um relat√≥rio da an√°lise de solo, um cronograma para uso e reembolso do valor solicitado e as garantias, que s√£o previamente combinadas com a institui√ß√£o financiadora. Essas regras est√£o previstas na Lei n¬ļ 4.829/1965, que institucionaliza o cr√©dito rural.

Quais s√£o as principais modalidades existentes?
Os valores disponibilizados são operados por bancos e cooperativas de crédito. Por sua vez, eles direcionam os recursos captados para empresas, cooperativas de produtores rurais, agricultores, pecuaristas individuais e pessoas físicas. O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, ou Pronaf, é uma iniciativa do Governo Federal e busca fomentar a geração de renda e melhorar a mão de obra familiar nas atividades rurais. Ele também se divide nessas modalidades de crédito. Veja, agora, quais são as três formas mais comuns de crédito rural.

1. Custeio
Financiamento de despesas da produção, como a aquisição de insumos. Funciona como capital de giro e pode ter prazos de 6 a 24 meses, dependendo da exploração ou atividade na área agrícola, produtiva ou pecuária. Também permite pequenos investimentos, como tratamento do solo e compra de novos animais. No Pronaf Custeio, o produtor rural obtém auxílio para atividades agropecuárias, de beneficiamento, de comercialização e de industrialização, tanto para si mesmo quanto para terceiros, desde que todos estejam enquadrados no programa.

2. Investimentos
Compras de servi√ßos e bens, como aquisi√ß√£o de m√°quinas e obras de irriga√ß√£o. Os investimentos em aquisi√ß√Ķes de novas tecnologias s√£o ben√©ficos para o campo, pois possibilitam a produ√ß√£o agr√≠cola com maior efici√™ncia e menor degrada√ß√£o ao meio ambiente. No Pronaf Mais Alimentos ou Investimento, os recursos s√£o utilizados para aprimorar a produ√ß√£o e a infraestrutura da propriedade ou de comunidades locais. Ele tamb√©m √© subdividido em Pronaf Mulher, Pronaf Jovem, Pronaf Eco, Pronaf Agroind√ļstria e Pronaf Agroecologia.

3. Comercialização
Financia obras voltadas à compra e venda de produtos, como a estocagem e a proteção de preços. Os recursos disponibilizados nessa modalidade asseguram ao produtor rural e suas cooperativas o armazenamento seguro e eficaz da colheita, além de garantir o abastecimento durante a queda de preços e fornecer o capital necessário para que os produtos cheguem ao local de vendas. O Pronaf não tem uma modalidade específica para a comercialização. No entanto, o Decreto 58.380/1966 descreve 12 modalidades especiais de crédito rural, que têm, entre outras, a reforma agrária, cooperativas e outras linhas.

O cr√©dito rural no agroneg√≥cio ajuda bastante tanto os produtores rurais quanto as cooperativas e associa√ß√Ķes a adquirir terras e ampliar seus neg√≥cios. Al√©m disso, conta com taxas de juros reduzidas e parcelamentos mais amplos, de acordo com a necessidade de cada pessoa.

Quais são as vantagens do empréstimo rural?
√Č muito importante conhecer de quais benef√≠cios a sua propriedade rural pode usufruir com a sua contra√ß√£o. Al√©m de poderem contar com meios que possibilitem o financiamento da produ√ß√£o e o crescimento do seu neg√≥cio, como a compra de m√°quinas e equipamentos, os produtores rurais t√™m ainda outras vantagens ao solicitar o cr√©dito rural. Confira algumas delas a seguir.

Produtos com taxas de juros menores
Em rela√ß√£o aos demais produtos de cr√©dito existentes, os juros cobrados em cada opera√ß√£o de cr√©dito rural s√£o muito menores. Isso ocorre porque tais transa√ß√Ķes s√£o subsidiadas pelo governo por meio dos programas de fomento que citamos, a fim de garantir o acesso a esse produto principalmente aos pequenos e m√©dios produtores. Outra vantagem √© que, dependendo da modalidade de cr√©dito escolhida, pode haver uma redu√ß√£o maior da taxa e at√© mesmo a diminui√ß√£o ou a isen√ß√£o de tarifas de servi√ßos relacionadas √† transa√ß√£o.

Adequa√ß√£o das condi√ß√Ķes segundo a finalidade do cr√©dito
As modalidades de contrata√ß√£o de cr√©dito rural se adaptam conforme a finalidade desejada. Os recursos dessas solu√ß√Ķes em cr√©dito s√£o classificados de forma geral em investimento rural, custeio e comercializa√ß√£o.  Al√©m disso, existem subdivis√Ķes voltadas tamb√©m a p√ļblicos espec√≠ficos: Funcaf√©, direcionado aos cafeicultores, e Pronaf, que tamb√©m conta com modalidades distintas, como Pronaf Cotas-Partes, Pronaf Semi√°rido e Pronaf Floresta, apenas para citar alguns. Tais divis√Ķes s√£o importantes para garantir o atendimento √†s especificidades de cada perfil e modalidade de produtor. Assim, todo o processo de contrata√ß√£o √© direcionado, o que acaba facilitando o cumprimento e a comprova√ß√£o de requisitos, reduzindo a burocracia e, consequentemente, alavancando o desenvolvimento desses neg√≥cios.

Valores e prazos adequados à necessidade do produtor rural
Ainda que o cr√©dito agropecu√°rio tenha um limite para a solicita√ß√£o de recursos, ele ainda consegue atender bem os produtores, principalmente os de menor porte. Dessa forma, o montante dispon√≠vel para cada transa√ß√£o obedece a varia√ß√£o de itens importantes, como o n√≠vel de produ√ß√£o, a capacidade de pagamento do solicitante e a viabilidade financeira econ√īmica dos produtos que ser√£o produzidos.

De igual modo, os prazos de pagamento também variam conforme o tipo de crédito. O crédito voltado para o custeio agrícola permite ao produtor planejar a expansão da produção e diversificar as suas atividades, levando-o a aumentar a produtividade e a geração de renda, o que, por sua vez, tem um impacto direto na qualidade de vida. Tal custeio costuma ter um prazo de até dois anos para pagamento, enquanto que os financiamentos do BNDES, por exemplo, trabalham com prazos mais longos, que chegam a até 10 anos.